SINAIS DO TEMPO

 

    Quem se instalar no Palácio sem pretender assumir o mergulho marisqueiro, poderá ainda assim desfrutar do gosto que há na casa pela cozinha portuguesa – de umas possantes favas à portuguesa a um arroz de tamboril preparado para se sentir o mais feio e um dos mais saborosos dos peixes comestíveis, a lista alarga-se em múltiplas direcções.

    Se a via escolhida for a do petisco, a exigir mais tempo e companhia para ir aguentando a conversa, fique a saber que essa é uma via também legitimada pelas mãos sábias que aqui vão servindo com prazer, das proverbiais moelas à saladinha de polvo, da salada de búzios a uns túbaros fritos que deixo a quem for apreciador do pedaço, não parece que aqui se sinta qualquer margem de erro. Numa época em que o espaço do petisco parece reduzido, até pela componente dos costumes apetece frequentar este palácio em que tudo é tratado com nobreza.

 

 

João Gobern
“in” Diàrio Económico
Sexta-feira, 11 de Novembro de 2005

Copyright ® 2006 turisplan.pt